Deivid Silva é o cara no WQS 6000 Red Nose Pro 15 Florianópolis (SC).
1280x853
Com a vitória, Deivid Silva sobe 23 posições e agora figurando em 28º lugar, na briga direta por uma vaga no CT. Foto: © WSL / Smorigo

Frieza, paciência, concentração, velocidade. Uma combinação perfeita para mais uma vitória brasileira no World Surf League Qualifying Series (QS). Desta vez com o paulista Deivid Silva no Red Nose Pro 15 Florianópolis SC, na tarde deste domingo (25), na Praia do Santinho, extremo norte da Ilha de Santa Catarina. O surfista de apenas 20 anos faturou US$ 25 mil, dos US$ 150 mil de premiação, garantiu importantes 6 mil pontos no ranking e subiu – nada menos que – 23 posições, agora figurando em 28º lugar, na briga direta por uma vaga no WCT.

Na final, ele derrotou o australiano Stu Kennedy, décimo no ranking, demonstrando uma total confiança em seu surf. Soube esperar o momento certo, a onda que lhe garantiria a virada no placar. Nas disputas anteriores, já tinha demonstrado seu “arsenal” de manobras, com muita velocidade e abusando dos aéreos, que antes não utilizava tanto. Superou nomes fortes como os americanos Conner Coffin, na semi, e Kanoa Igarashi (6º no ranking), nas quartas.

Stu tirou um 7 e depois um 7,4. Deivid garantiu um 7,9 e passou a aguardar a segunda onda, testando os nervos da torcida. Ficou mais de 20 minutos sem surfar até que explorou uma direita. Precisava de 6,5 e garantiu o 8,17, para virar o placar no finalzinho e empolgar o grande público na areia – 16,07 a 14,40. “Estava muito focado. Sabia que a onda estava demorando e tive calma. Foi fé em Deus”, vibrou o surfista da Prainha Branca, em Guarujá.

“Quando cheguei, pensava em passar as primeiras baterias e fui ganhando confiança a cada obstáculo superado. Sempre passou na minha cabeça ganhar um campeonato desses, de alto nível. Melhor ainda sendo do patrocinador. Estou muito feliz”, disse Deivid, que é patrocinado pela Red Nose.

1280x853
Com apenas duas ondas surfadas na final, Deivid Silva faturou o Red Nose Pro 2015, na praia do Santinho, Florianópolis (SC). Foto: © WSL / Smorigo

Com a vitória, Deivid subiu da 51ª posição para a 28ª, tendo três resultados baixos para trocar e alcançar o grupo dos dez atletas que se classificam para o WCT. “Sempre pensava num resultado grande como esse. Agora que consegui, vou focar bastante nos próximos. Meu grande objetivo é o QS 10000 em Maresias. Tenho muita vontade de ganhar um prime”, disse, referindo-se ao Oi/HD São Paulo Open, que começa dia 2 na Praia de Maresias, em São Sebastiao, valendo 10 mil pontos.

1280x853
Deivid Silva faz sua segunda final do QS no ano. Foto: © WSL / Smorigo
Essa foi a sua segunda final no QS este ano. Foi vice-campeão em Pantin, na Espanha. Se alcançar seu objetivo, será o terceiro surfista de Guarujá no WCT em 2016, junto com Adriano de Souza e Caio Ibelli, outra novidade no Tour. “Se Deus quiser. Vou lutar muito para isso”, destacou.

O proprietário da Red Nose, Marcelo Cunha Leitão, teve motivos dobrados para comemorar ao final do evento. “Deu tudo certo. Foi um sucesso, nível técnico excelente, atletas disputando acirradamente as vagas para o WCT, num lugar maravilhoso e a vitória do Devid. Se a economia ajudar, queremos estar com essa mesma etapa novamente”, afirmou o empresário, festejando a proximidade de seu atleta no WCT.

“É o que mais queremos. Colocar ele no WCT, no topo do Mundo. Temos outros investimentos com o Red Nose Energy Drink, com o Ítalo Ferreira e o Jadson André, e estamos em busca de novos talentos. Vamos investir”, revelou Marcelo.

O QS Red Nose Pro 15 Florianópolis SC, válido pela 32ª etapa do Circuito Mundial, reuniu 144 surfistas de 24 países. Além de Deivid, o vice-campeão Stu Kennedy saiu da Praia do Santinho feliz, ao subir oito posições no ranking e já figurar entre os top 10. Kanoa Igarashi, quinto colocado, também melhorou na classificação geral, passando de sétimo para sexto entre os melhores do QS.

Alex Ribeiro ficou em nono no Santinho e manteve a quinta posição, mas melhorou sua pontuação. Os dois semifinalistas (terceiros colocados) também “lucraram” na etapa. Patrick Gudauskas ganhou 15 posições, agora em 16º lugar, e Conner Coffin, ultrapassou 13 surfistas, para assumir a 17ª colocação.

Para completar a festa, o público acompanhou a eleição da Gata Red Nose, num badalado desfile de biquíni no palanque. Vitória de Sabrina Koersch, ganhando contrato publicitário de um ano com a Red Nose, e a segunda colocada foi Monique Moraes.

O evento
O Red Nose Pro 15 Florianópolis SC teve o patrocínio master da Red Nose, com apresentação do Costão do Santinho Resort Golf & Spa, patrocínio do Governo do Estado de Santa Catarina, através da Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte e Fundesporte, copatrocínio da Prefeitura Municipal de Florianópolis/Fundação Municipal de Esportes e apoio de Mini Kalzone. O evento foi homologado pela World Surf League South America e organizado pela Federação Catarinense de Surf (Fecasurf), com apoio da Associação de Surf Ingleses e Santinho (ASIS). Divulgação: Waves e Revista FLUIR.